• Ricky Duraes

EUA e aliados discutem possível proibição de importação de petróleo e gás da Rússia


A proibição de importação de petróleo e gás da Rússia está a ser discutida entre os EUA e a União Europeia. A atual crise associada ao aumento de preços é uma das grandes preocupações mediante essa possibilidade.

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, revelou que Washington está a conversar com os seus aliados na Europa para proibir a importação de petróleo da Rússia como retaliação pela guerra na Ucrânia.


A proibição das importações de petróleo privaria a presidência russa (Kremlin) de uma importante fonte de receita, mas poderia prejudicar a economia mundial ao elevar os já altos preços da energia, razão pela qual os governos ocidentais têm resistido a adotar tal medida.

No entanto, os congressistas dos Estados Unidos, quer democratas quer republicanos, têm pressionado Biden nos últimos dias para que Washington pare de comprar petróleo e seus derivados à Rússia, argumentando que a receita dessas importações é usada pelo Kremlin para financiar a guerra na Ucrânia.

A UE depende da Rússia para o fornecimento de energia, já que importa daquele país 41% do gás natural e 27% do petróleo que consome, segundo dados de 2019 do Eurostat.

Ao contrário da União Europeia, os EUA têm capacidade para produzir o seu próprio gás e petróleo, embora continuem a importar energia de outros países porque o seu consumo interno é muito superior à produção.

Ainda assim, os Estados Unidos são muito menos dependentes da Rússia e importam apenas 7,9% do petróleo que consomem daquele país, segundo a Administração de Informações sobre Energia dos EUA.

0 views0 comments