• Ricky Duraes

Levou jovem a fazer "última refeição" antes de o matar e desmembrar

Uma jovem de 22 anos levou um jovem de 20 anos para um restaurante McDonalds para uma última refeição e depois alvejou-o e desmembrou o corpo. Agora incorre numa pena de 16 a 54 anos de prisão.


Foto: Jornal de Noticias

Uma mulher, de 22 anos, declarou-se culpada de atrair um jovem, de 20, para um restaurante McDonald’s para uma “última refeição”, antes de o alvejar cinco vezes na cabeça e desmembrar o seu corpo. O caso remonta a 31 de janeiro de 2021, no estado norte-americano de Virginia, e o corpo foi encontrado um dia depois numa área de floresta dentro de quatro sacos do lixo.


Bronwyn C. Meeks declarou-se culpada em mais de 30 acusações contra si, entre as quais homicídio em primeiro grau, sequestro e profanação de cadáver, no caso da morte de Dylan Whetzel. Enfrenta uma pena de prisão que poderá ir dos 16 aos 54 anos.


No mesmo caso, há ainda outros dois arguidos: Dominic Samuels e Brennan Thomas, ambos com 19 anos. Segundo a acusação, Samuels e Meeks eram traficantes de droga e estavam numa relação amorosa na data do crime e os três frequentaram a mesma escola que a vítima.


O conflito terá começado após a vítima pedir a Thomas para deixar de vender droga a um dos amigos que já tinha sofrido uma overdose. Meeks foi a responsável por atrair o jovem, alegando que iriam a uma festa, mas acabou por o levar à cadeia de restaurantes naquela que, segundo a própria, seria a sua “última refeição”, revelou o procurador do caso, David Sands, citado pela imprensa internacional.


Depois, levaram a vítima até Spotsylvania, onde a tiraram do carro e balearam cinco vezes na cabeça. O corpo, apontou Sands, foi desmembrado com um machado comprado depois do crime

2 views0 comments