• Ricky Duraes

MP DOS EUA RETIRA ACUSAÇÃO DE HOMICÍDIO A MULHER QUE TERÁ INDUZIDO ABORTO

O Ministério Público norte-americano decidiu retirar a acusação de homicídio a uma mulher hispânica que alegadamente provocou um aborto no estado do Texas, onde a prática é quase totalmente proibida.


No Texas a problemática do aborto continua a marcar a atualidade. O Ministério Público norte-americano decidiu retirar a acusação de homicídio a uma mulher que alegadamente provocou um aborto no estado do Texas, onde a prática é quase totalmente proibida.


Lizelle Herrera, de 26 anos, foi presa na quinta-feira em Rio Grande City, cidade do condado texano de Starr, na fronteira com o México, acusada da morte de uma pessoa por aborto autoinduzido.


No sábado, Lizelle foi libertada sob fiança após forte pressão das associações defensoras dos direitos reprodutivos das mulheres.


Segundo o procurador Gocha Allen Ramírez, a mulher "não cometeu ato criminoso sob as leis do estado do Texas".


Uma lei em vigor desde setembro no Texas proíbe a prática do aborto assim que a atividade cardíaca do feto é detetada, por volta das seis semanas de gestação, quando muitas mulheres ainda não sabem que estão grávidas.


Como alternativa, as mulheres procuram medicação para interromper a gravidez sem ajuda médica ou deslocam-se a outros estados norte-americanos onde o aborto é legal.


De acordo com a lei texana, apenas podem ser processados os médicos ou outras pessoas que ajudem uma mulher a interromper a gravidez.

0 views0 comments