• Ricky Duraes

PS e PSD elegem dois deputados cada nos círculos da emigração

Já são conhecidos os quatro deputados pelos círculos da emigração. Os Socialistas Paulo Pisco e Augusto Santos Silva e sociais-democratas Maria Ester Silva e António Maló de Abreu são os quatro deputados que faltavam para completar os 230 do hemiciclo. No total foram anulados mais de 157 mil votos. Partido Socialista não vai reclamar no tribunal constitucional. Se tivessem sido aceites o total dos votos seriam mais de 400 mil, algo nunca antes registado.


Foto: RTP

Tal como em 2019, PS e PSD dividem entre si os quatro deputados à Assembleia da República pelos círculos da emigração em partes iguais: cada partido venceu um círculo e elegeu um deputado por cada círculo. Os socialistas elegeram Paulo Pisco pelo círculo da Europa e Augusto Santos Silva pelo círculo Fora da Europa, ao passo que os sociais-democratas elegeram Maria Ester Almeida e Silva pela Europa e António Maló de Abreu pelo resto do mundo. Dos quatro nomes, apenas o de Maria Ester é novo.


De acordo com os dados da Secretaria-geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI) actualizados perto da meia-noite desta quarta-feira, registou-se uma abstenção de 83,06%: votaram 257.791 eleitores dos 1.521.947 inscritos. Foram anulados precisamente 157.205 votos de emigrantes portugueses, confirmou o Expresso, cerca de 80% dos votos deste círculo devido a um acordo que virou desacordo. Se tivessem sido contados, os mais de 400 mil votos de emigrantes que foram enviados para Lisboa representariam quase um terço dos automaticamente inscritos. Nunca Portugal, até aqui, tinha recebido um número sequer parecido de votantes.


Nas contas finais, embora ainda com os resultados a serem considerados provisórios até validação pela CNE, o PS vence estas legislativas antecipadas com uma maioria absoluta de 119 deputados enquanto a bancada parlamentar do PSD fica com 78 deputados


O PS ganhou na Europa, com 40,37% (78.048 votos), enquanto o PSD registou 25,38% (49.063 votos). Tal como no território nacional, o Chega ficou em terceiro lugar, com 9,94% e 19.225 votos. O Bloco foi o quarto partido mais votado com 3,95% e 7639 votos.


No círculo Fora da Europa, os papéis invertem-se: o PSD ficou em primeiro lugar, com 37,46% (24.143 votos), enquanto os socialistas conseguiram 29,76% da votação (19.181 votos). Seguiram-se o Chega (9,59% e 6181 votos) e PAN (4,53% e 2921 votos).


O PS decidiu abdicar de enviar esta decisão para o Tribunal Constitucional, confirmou o deputado Paulo Pisco. Não só porque a contagem destes votos não viraria a distribuição de deputados (ficou 2-2 entre PS e PSD), como porque iria atrasar ainda mais a posse dos novos deputados e da formação do Governo.

0 comments